sexta-feira, 4 de junho de 2010

Use a energia a seu favor



Quem não gosta daquelas fases onde acordamos cheios de disposição, energia de sobra, realizamos inúmeras tarefas, saímos na balada e ainda assim, sobra energia? Esteja atento! Fazer mais do que estamos acostumados a fazer pode nos levar ao stress com conseqüente baixa da imunidade, o que vai fazer você parar, queira ou não. Algumas das conseqüências podem ser bem simples, como alguma virose, gripe, depressão,... mas pode também, levar a ocorrência um acidente devido tanto ao stress, como a demasiada ansiedade.

É comum existirem pessoas que tem grande quantidade de energia, conseguem fazer, processar muitas coisas ao mesmo tempo. A energia pode ser tanto mental como física, onde se enquadra atletas, que possuem grande energia física. Porém, tratando-se de um atleta, a energia está na verdade mais relacionada à resistência em si, que é adquirida com o treino constante e obviamente alimentação adequada. Mas tanto a pessoa que usa o físico, como aquela que usa o intelecto, ambas dispõe e utilizam a energia Universal.

A energia vital é o que nos move, nos mantém vivos. Não é em si o espírito. Toda a vida na Terra é ligada como uma teia de energia, ligada a algo maior, a Fonte, o Universo, que nos dá a energia de acordo com a nossa necessidade real. Falo necessidade real, porque podemos usar ilimitadamente a energia Universal, porém, ela deve ter uso adequado, em equilíbrio com nosso corpo, mente e espírito. Nós recebemos a energia Universal de acordo com nossa “ligação” à Fonte. Isso significa estarmos ligados a ela, sintonizados. A pergunta é: fazemos isso de forma automática? Sim e não. Na verdade é nosso pensamento que nos conduz a isso. O pensamento positivo, o pensamento para o bem, para o amor, automaticamente nos conecta a energia Universal. Quando estamos em equilíbrio com o corpo, mente e espírito, recebemos a energia Universal em abundância e a podemos utilizar de forma ilimitada, desde que seja para o bem comum e em equilíbrio.

Os desequilíbrios de ordem corporal se caracterizam pelo descuidado com o corpo físico, podendo ser a falta de exercícios, má alimentação, vícios e exageros. Os de ordem mental são graves, pois a conseqüência do desequilíbrio mental leva às doenças do corpo e desligamento espiritual. Devemos ser conscientes que não somos a mente. A mente é um mero “computador” que possuímos que coordena as funções vitais no nosso corpo e nos auxilia na lembrança, na memória. Alguns podem se perguntar: mas se não somos a mente, quem somos? Como sempre digo: somos um espírito que optou em vivenciar e evoluir através da breve passagem aqui na vida terrena, habitando um corpo físico, que é movido pela energia vital e nutrido de energia Universal. Não somos a mente e, portanto, devemos sempre olhar para nós mesmos como se fossemos uma terceira pessoa. É estar consciente, presente e se auto-analisando, sentindo o que sente e o que pensa, é se perguntar: o que estou pensando? Porque penso isso se posso ser diferente? Porque sinto raiva (e qualquer outro sentimento), se posso ser amoroso, posso perdoar? Quando adquirimos a consciência de terceira pessoa (nós como espíritos olhando para si mesmo – corpo e mente), mudamos completamente a forma de pensar e agir. Mesmo assim, a mente pode nos enganar. Quando estamos num “breve” equilíbrio, cheios de energia, o ego mental pode nos levar a querer fazer mais e mais. Passamos a realizar mais tarefas, assumir mais compromissos. Passamos a utilizar energia mais do que o corpo suporta ou então até que a mente não consiga mais processar e entre em caos, levando então ao stress. Mas para a pessoa que sabe que não é a mente, o desequilíbrio momentâneo pode ser superado facilmente através da consciência do erro e pensamento positivo na cura. Através do pensamento positivo e confiando no poder que ele tem mediante a resposta do Universo aos nossos pensamentos, podemos fazer milagres. Já o desequilíbrio espiritual é algo sutil e que nos parece sem tanta importância, mas é tão decisivo quando o mental. Por sermos entidades ligadas ao Universo, mas que, de certa forma, autônomas e com livre arbítrio aqui na Terra, devemos ser gratos por podermos estar aqui e ter essa “liberdade”. Um dos principais aspectos da espiritualidade é sermos gratos por estarmos aqui. E quantas vezes reclamamos por isso e por aquilo, criamos intrigas, discussões por coisas pequenas, quando outros indivíduos, nossos semelhantes não possuem nem lar, nem comida, alguns nem família. A gratidão é o primeiro ponto.  O segundo é a fé. Devemos confiar no Universo (ou Deus – de acordo com sua crença). O terceiro, mais importante e difícil, é a conexão com o Universo ou Fonte. A conexão em primeiro lugar vai depender da consciência que somos um espírito, ou como expliquei acima, a consciência da terceira pessoa. A conexão com a Fonte se dá no momento em que conseguimos desligar momentaneamente a mente. Pessoas espiritualizadas fazem isso de forma simples, às vezes com um breve respirar profundo, fechando os olhos e deixando o corpo sutil entrar e se conectar a energia Universal. Mas o caminho para isso não é tão simples, requer meditação ou outras vivências como renascimento, biodança e quaisquer outras práticas que levem ao desligamento da mente, equilíbrio e conexão com a Fonte. De forma mais ampla, o amor à vida, ao próximo, ao planeta nos conduz automaticamente a conexão com a Fonte.

A busca do equilíbrio deve ser constante, estando de bem ou de mal com a vida. Se não estamos bem, queremos esse equilíbrio. Se estivermos bem, a busca também deve continuar e isso significa estar alerta, para não darmos espaço a exageros desnecessários.  O equilíbrio, portanto, deve ser a nível corporal, mantendo uma alimentação saudável, bebendo (álcool) de forma moderada e praticando exercícios de acordo com sua condição, além da massoterapia, que pode ser feita de forma regular, trazendo ótimos resultados, além de liberar energias estagnadas (principalmente para pessoas que não praticam muitos exercícios físicos) e desligando você do corpo e mente por um momento, claro, se você permitir. Mental, procurando estar sempre consciente e alerta aos seus pensamentos, buscando sempre nutrir sua vida com pensamentos positivos, não permitindo que nenhuma preocupação ou negatividade invada você. A saúde mental depende também de deixarmos a mente em standby por um tempo, ou seja, ter práticas que podem ser desde esportes, mas principalmente vivências relacionadas a meditação e espiritualidade que façam você desligar e entrar em contato com você mesmo e à Fonte. O equilíbrio espiritual que se dá no momento em que você está em constante conexão com a energia Universal, em concordância com sua missão de vida, com seus ideais, com seu ritmo vital, com gratidão, fé e amor. Viva uma vida plena, completa, desapegada, valorize tudo que você possui, de atenção a sua família, seus filhos, seus amigos, seu companheiro (a) e nunca esqueça de você mesmo. Você é primeiro lugar, você é quem direciona a energia a todas as ações, sentimentos e pensamentos de sua vida - use-a a seu favor!



Vinícius Casagrande Fornasier 

Nenhum comentário:

Postar um comentário