segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Sofrimento: transformação e consciência


Tempos de grande sofrimento trazem em si, potencialmente, tempos de grande transformação. Para que a transformação aconteça, porém, é preciso irmos fundo às raízes da nossa dor, vivenciando a dor exatamente como ela é, sem culpa e sem piedade.” OSHO

Quem nunca teve uma decepção, um grande sofrimento, uma perda? Vivemos de esperanças, ilusões e quando nos demos por conta, somos traídos por nossa mente, formada de falsos padrões instalados por nossa formação primária. Da onde tiramos a idéia que o mundo pode ser perfeito, que podemos dizer que todas as pessoas são boas, confiáveis, amáveis?

“Somos o resultado de manipulação e mentiras produzidos pelos outros.” A busca da verdade é de fato uma distração e adiamento. É a fórmula encontrada pela mentira para disfarçar-se. [...]” OSHO

De fato, existe falsidade, traição, mesquinharia, tragédias, situações inesperadas que nos esperam e que sempre possuem um motivo. Podemos optar em como olhar para isso. Podemos sofrer, entristecer e então não querer compreender. Às vezes é mais fácil culpar as pessoas, a tragédia, a doença. Mas podemos também olhar por outros ângulos. Podemos sentir a fundo, compreender, ficar consciente da lição que podemos tirar da situação. Podemos amadurecer, conhecer melhor as pessoas, saber em quem confiar, quando desconfiar, podemos aprender a amar quem não amamos e deixar de se iludir com quem não merece ser amado. Podemos compreender o valor das pessoas que se vão ou das que quase se vão. Podemos compreender que o mundo é muito mais que uma única pessoa. O apego é a maior doença para a alma. Prende, castiga, faz você sofrer, faz você viver uma vida vazia.

O sofrimento é o caminho para a transformação. Você não pode fugir da dor. Ela está aí e você tem que tomar uma decisão. Ficar triste e nunca compreender ou então encarar, ir a fundo à dor, ir ao fundo do poço sem se assustar. “Já que está no inferno, cumprimenta o Diabo!” E poderá perceber que conhecendo a dor, você poderá usá-la. Usá-la para ficar consciente, para analisar aquilo que você viveu, as ilusões, sofrimento e decepções. É a melhor forma de ficar alerta. É a melhor forma de crescermos, de nos iluminarmos e termos maior consciência e sabedoria. E acima de tudo, é olharmos para nós mesmos e desmarcar as mentiras que vivemos. Mentiras criadas por nós, que só nós podemos relevar. Simplesmente aceite-a, aceite-se. Porque consciente, a infelicidade desaparece!

Vinícius Casagrande Fornasier

Obra Consultada: O Tarô Zen de Osho. Editora Cultrix, 1994.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

A Religiosidade no século XXI

Atualmente em nosso planeta há um grande desequilíbrio das forças do bem e do mal. As grandes mudanças de pensamento no ser humano devido a tanta novidade, descobertas, globalização, facilidade de informação, enfim, levaram o homem ao esquecimento de suas origens ou então ao afastamento de Deus.

A religião é um assunto difícil para as pessoas. A crença de uns não é a de outros, a forma de pensar parecem muito diferentes, outros optam em nem se ligar a nada disso. Recentemente assisti a um filme de terror (lançamento no cinema) que expressa à atual realidade da sociedade. A descrença, falta de fé e religiosidade e a leviandade com as forças ocultas, levam a destruição da vida, à amargura, ódio, inveja e depressão, caminhando apenas para um lugar distante da Fonte Divina.  Mas o que é ser religioso?
“Ser religioso significa estar satisfeito com aquilo que se é” – Osho
Alguns pensam que ser religioso é ir à igreja toda semana ou então rezar o Pai Nosso todos os dias. Não quero dizer que é errado rezar as orações decoradas. Quero dizer que deve haver significado, consciência em cada palavra, para que isso vibre dentro de você de maneira positiva. Outros acham que ser religioso é se abster de bebida, de sexo, de dinheiro, do verdadeiro amor, entre outras negações. Mas ser religioso na verdade é você ser o que você É em sua essência. Significa estar satisfeito com sua vida, aceitando a verdade de que você é o co-autor da sua vida. E ser religioso implica somente em positividade, em acreditar que podemos sempre ser melhores, que podemos ter amor dentro de nós; amor que parte de dentro de nós e nunca fora, que somos Uno com a Existência. É ter compaixão, saber perdoar, é confiar na Vida e ser grato a ela.

 O Universo é infinito e suas forças ilimitadas e invisíveis levaram o homem a criar um modo de expressar essas forças – a religião. Deus não é algo palpável ou que você possa ver e tocar. Deus é um nome que determinadas religiões deram a essas forças do Universo. Portanto de acordo com determinadas religiões, pode ser chamado dos mais variados nomes. Olhando de forma holística (olhando para o Todo), prefiro chamar de Existência, Fonte, Universo, Força Criadora, Energia Universal, entre outros sinônimos.
E Jesus Cristo? Foi uma pessoa iluminada que passou pela 3ª dimensão para dar um recado à humanidade. Sem dúvida Jesus foi um dos maiores exemplos da expressão do Universo ou de Deus na Terra. O problema está que certas religiões tomaram Jesus para manipular o povo, como historicamente se sabe e já foi relatado em livros e filmes. Mal sabem as pessoas também, como existiram e existem pessoas como Jesus na Terra. Madre Tereza de Calcutá, Buda, Osho, Sai Baba (vivo), entre muitos outros que trouxeram luz e sabedoria para nosso planeta.

O mau uso do nome de Deus e Jesus, as crenças, negações, limitações impostas por algumas religiões e a forma excludente que usam para comparar o homem a Deus, em contrapartida de toda a descoberta no mundo da física quântica, novas formas de pensamento, e toda a realidade global que vivemos atualmente, levaram a descrença da sociedade. As pessoas preferem apenas viver a sua vida de qualquer modo, com um coração vazio, distante da Existência, vivendo de forma mundana, vivendo de aparências, de apegos, negatividade, sem objetivos maiores para sua vida. E então você vê muitos pregando determinadas crenças, fanáticos e crentes em Deus, mas que vivem de discórdias familiares, ódio, inveja, indiferença,... e dizem ser religiosos.

Porem há uma nova geração de pessoas do bem. Uma geração que está consciente desde seus padrões familiares e karmas trazidos, até a consciência das necessidades urgentes de nosso planeta. É uma geração que percebe como se pode olhar para Deus de várias formas, que percebe que a positividade e boas ações fazem muito mais diferença que você seguir crenças. O rompimento dos padrões traz 2 grandes movimentos energéticos ao planeta: o primeiro, as forças do bem, que procuram conscientizar, trazer amor, positividade, mudanças a nível psicológico, espiritual e até ambiental. E as forças do mau, que a séculos ou até milênios estavam de certa forma ocultas. As forças do mal tomaram forças nos últimos tempos devidos a dois motivos principais: o primeiro que é a descrença, indiferença e distanciamento da Fonte (Deus) das pessoas, o que leva à manifestação de muitas entidades malignas ou se preferir à proliferação da energia negativa. O segundo motivo é que essas forças estão sendo de certa forma reveladas, descobertas e se sentem ameaçadas e tomando rumo em alguns casos para dar força a outras manifestações negativas. Percebe que nos últimos anos cada vez mais acontecem desastres? E não é qualquer desastre; cidades destruídas pelas forças da natureza, pessoas matando até seus filhos, se suicidando e muitos pensam que o mundo vai acabar em 2012 ainda por cima! Não é bem assim.

O planeta está dando um alerta. Um alerta para a conscientização de como estamos separados de nossas raízes, de como estamos separados da Existência. O planeta naturalmente vai se realinhar e devemos nos colocar em sintonia com a mãe natureza, se não quisermos conseqüências ainda piores. Sejamos mais religiosos – mas que essa palavra tenha o significado correto – para que possamos estar mais próximos de nossas origens. Faça sua parte, tenha consciência que você pode fazer a diferença nas mais simples atitudes. Desacelere um pouco e entre em contato com a Existência, medite, ore, cuide de você, da natureza, sinta-se bem consigo mesmo, faça o bem. É dessa forma que podemos colaborar para um mundo melhor.


Vinícius Casagrande Fornasier

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

O maior presente para sua vida – O Aqui e Agora

Movido pelas minhas experiências, conhecimento e reflexões da realidade cotidiana, falarei um pouco sobre “o Aqui e Agora”, o estado de Ser consciente.

Vejo muitas pessoas que adoram se lamentar o tempo todo, que vivem do passado, vivem do medo, vivem das incertezas, que fazem previsões para o futuro, baseado em todo esse lixo mental. Viver disso apenas traz infelicidade, traz a falsa esperança “se um dia”, “quando aquilo acontecer”, “porque no passado foi assim e não será diferente”.

Quanto lixo você carrega com você?

Muitas pessoas afirmam ser conscientes. Eu às vezes digo às pessoas: “você deve ser consciente da sua realidade”. “mas eu sou consciente...” e outras admitem: “mas o que é ser consciente?”

Primeiro temos que aceitar que somos um espírito que está por um breve período encarnado em um corpo material e descartável aqui na terceira dimensão – Terra. Sem compreender isso você não precisa continuar lendo, porque só vai achar isso uma besteira. Essa compreensão é básica, porque significa que se somos um espírito e não pertencemos, não somos enraizados à terceira dimensão, não há porque ser apegado a ela! Para entender melhor: porque ser apegado a bens materiais, se sabe que não fará a mínima diferença quando morrer? Porque criar tanta confusão e guerra, com família, com seu parceiro, ou seja lá quem for, se você apenas está aqui de passagem? A vida aqui na Terra passa rapidamente e quando você vê, terá uma lista de coisas inacabadas, incompletas, mal resolvidas – o princípio do Karma que já comentei em outro artigo. E não posso deixar de falar de quem gosta de julgar também. Julgar pessoas é algo muito grave. Ninguém sabe de ninguém. Nem mesmo nossos pais nos conhecem a ponto de julgar nossas decisões. Em primeiro lugar, você se conhece? Você sabe quem realmente você é? Você sabe o que sente e o que pensa e sabia que existe grande diferença entre pensar e sentir? Já percebeu como muitas vezes seu sentimento te leva para um lado, mas sua mente para o outro? Então, praticamente, não podemos nem julgar a nós mesmos se não nos conhecemos! Porque provavelmente você dirá em determinada situação “eu farei tal coisa ou agirei de tal maneira”. E aí você vai lá e se contradiz com o que pensou de si mesmo.


Enfim, quando desencarnamos (morte do corpo físico), o espírito muitas vezes encontra-se fraco e contaminado pelo forte ego das nossas mentes. A pessoa que vive uma vida mental, material e com apegos, negatividade e ilusões, acredita em tudo isso tão fielmente, é tão enraizado que o espírito não consegue se libertar disso. Com um pouco de fé nessas horas e com a oração e ajuda espiritual o espírito então consegue receber ajuda e quando se libera do “lixo” e olha para todas suas experiências aqui na Terra... deve sofrer, pois foi escolha nossa como espírito encarnar aqui, com sua condição física, com sua família e tudo que você é. Viemos com um objetivo de vida claro e traçado, porém o velho “véu do esquecimento” não nos deixa ver isso. Mas aí que começo a falar do “aqui e agora” e da consciência.


Quero antes fazer um breve parêntese sobre minha opinião sobre 2012. Falam tanta baboseira por aí de fim de mundo e coisas do tipo. Segundo algumas informações que sei sobre espiritismo e xamanismo, 2012 é o marco da transformação do nosso planeta. Perceba que nos últimos anos as coisas vêm mudando cada vez mais rápido e as crianças de hoje são muito mais inteligentes que no passado. Falam então dos “ciclos” do nosso planeta. Esses ciclos têm seu auge em 2012. Há quem fale que as pessoas que não evoluírem espiritualmente até lá, não reencarnarão novamente aqui na Terra. Por isso acredito apenas que nosso planeta melhorará a partir de 2012 e não o fim do mundo.

Voltando ao assunto, o que lhe resta então quando você abandonar o passado e o futuro? Lhe sobrará apenas o agora! Sim... o exato segundo que está vivendo. Se você está lendo com atenção perceberá que você não tem outros pensamentos nesse exato momento. Então significa que não existe medo, preocupações, insegurança, etc. Por quê? Porque você está consciente. Ser consciente é você estar centrado em si mesmo. Significa estar em equilíbrio entre coração e mente. Quando me refiro a coração, quero dizer o Ser, é seu sentimento. Quando estamos em equilíbrio entre coração e mente e com certo desenvolvimento espiritual, então também desenvolvemos a intuição. A intuição permite você ver melhor aquilo que sente diferente da mente que julga o que sente. A mente sempre julgará, porque a mente é como um disco rígido. Ela guarda informações que você armazenou e entre elas, as crenças, por exemplo. A intuição funciona quando você dá espaço ao seu coração, quando você relaxa e entra em contato com a Existência. O desenvolvimento disso de dá de várias formas, entre as mais conhecidas a meditação. Mas nem vamos falar do que é meditação aqui. Enfim a intuição é um estado de fé e contato com Deus que permite você direcionar suas atitudes de forma consciente e tranqüila. Estar consciente significa agir sem medo, é ter confiança e sabedoria nas suas ações e ainda, é você agir com completude, sem deixar coisas mal resolvidas para traz.

O “AGORA” é só o que lhe resta e é o maior presente que você pode ter para sua vida. Você é responsável por tudo que você É e sente. Todos os acontecimentos da sua vida são gerados pelos seus pensamentos. Todas as suas limitações são resultados das crenças da sua mente. Não esqueça: a mente “mente”! A felicidade só virá quando você tiver consciência que você só pode agir no Agora e Ser no Agora. Pare de agir baseado no passado e nos julgamentos referentes a ele. Você tem limitações, defeitos? Todos tem e é escolha de cada um se liberar disso. No Agora nada disso existe. No agora apenas há o segundo presente onde você sente e escolhe o que quer Ser e fazer. A mente pode sim ser sua “auxiliar”. Confie, mas não precisa tentar colocar o dedo na tomada novamente, ela dá sim choque! Mas não aplique isso ao ser humano, porque somos únicos, diferentes uns dos outros e somos mutáveis; podemos mudar sempre que quisermos. Então dê mais tempo a você, se conheça mais, medite, ore, faça coisas que te façam bem e que desliguem a sua mente. Ame, apaixone-se, viva intensamente sem medo, confie! Comece a questionar a você mesmo. Seja positivo sempre, não importam as circunstâncias e viva no presente, Aqui e Agora!


Vinicius Casagrande Fornasier