domingo, 16 de maio de 2010

Desejo e desapego



Quais as diferenças entre a natureza e o ser humano? Do ponto de vista físico-químico não há diferenças; a composição básica é carbono, hidrogênio e outros elementos comuns. A nível energético também é semelhante. As células carregam milhões de informações e desde a germinação de uma planta ou a fecundação de um óvulo, já há uma organização única, como uma sinfonia. Temos que ter consciência de que o planeta é regido por uma força maior. Não é porque temos cérebro que nosso corpo funciona, já que uma planta germina, cresce, produz frutos e sementes e está não possui cérebro. O que nos diferencia da natureza é a informação. Temos a capacidade de reter, organizar e direcionar informações que é um campo mais sutil de energia. 

Nosso pensamento tem uma influencia sobre tudo ao nosso redor. Inicialmente devemos entender que somos entidades evoluídas que armazenam informações, que tem sentimentos, que pensam, que se emocionam, e isso tudo é energia. Somos entidades que habitam um corpo físico, que diferente de uma árvore que se alimenta de acordo com as condições de clima e solo, tem a opção de escolher os seus alimentos, mas que por sermos demasiadamente mentais e pouco sensitivos, não damos a atenção necessária ao nosso corpo. Imagine um computador sem software. Ele é apenas uma mera máquina sem serventia alguma. No momento em que você tem o software ele então passa a operar. Quando algum software é contaminado (vírus), então pode comprometer alguma parte física do computador. Não somos diferentes. Nosso corpo sozinho não é nada. No momento em que o espírito habita o corpo então ele passa a ter vida. Quando temos pensamentos negativos, quando temos sentimentos negativos, automaticamente isso contamina o corpo físico, causando a doença. Portando a doença não vem de fora, e sim de dentro, vem da energia dos nossos pensamentos (da falta de equilíbrio). O nosso corpo depende diretamente no nosso equilíbrio emocional, assim como depende de alguns fatores externos como a alimentação, ar e exercícios físicos. 

Todo pensamento que temos gera uma onda energética que se espalha ao nosso redor, que se difunde pelo Universo. A lei da atração diz que tudo que desejarmos de forma consciente ou inconsciente, atrairemos para nós. Isso inclui tanto pensamentos positivos, como negativos. Os filmes “Quem somos nós?” e “O Segredo (The Secret)” explicam claramente como funciona nosso corpo, mente e como nossos pensamentos são os precursores da criação da nossa vida. Os pontos que quero salientar são o desejo e o desapego. Todos nós temos desejos, desde os de sobrevivência (comida, lar, trabalho), até desejos supérfluos (dinheiro, coisas materiais). Focados em desejos materiais, muitas pessoas acabam esquecendo-se de coisas muito importantes que são essenciais às nossas vidas, como a espiritualidade, o amor, a família e principalmente, esquece de si mesmo. 

O apego é uma das maiores barreiras (para não falar doença) na vida de uma pessoa. Apego significa agarrar-se a algo, sofrer por esse algo, não querer abrir mão disso. O apego é o caminho contrário da vida. Observe a natureza. Os animais são desapegados. Um pássaro coloca seus ovos, alimenta quando recém nascido e uma vez que saiba voar o pequeno já vai à busca de seu alimento e a mãe não se apega. Sem falar em outros animais que apenas colocam seus ovos e deixam que a natureza se encarregue do resto. Na maioria dos casos, falando de mamíferos, uma vez que o pequeno é desmamado, toma seu caminho e independente de espécie, a questão é: existe uma naturalidade e uma ordem natural das coisas, livre de apego. Os apegos são humanos. As pessoas se agarram a muitas coisas. Existe apego a coisas materiais, levando as pessoas a buscar incessantemente riqueza material. Apego a opiniões, como por exemplo, quando um pai ou uma mãe desejam que o filho siga uma carreira que eles acham ser melhor, ou que siga o negócio da família, o que gera uma situação desagradável, levando muitas vezes a pessoa a seguir um caminho que não lhe agrada, que não se sente bem. Apego a pontos de vista, levando a pessoa a julgar, ser incompreensível, dura e fechada. Apego ao ego, onde a pessoa é agarrada ao status social, preconceitos, idéias. Apego a crenças, onde a pessoa segue de forma míope padrões impostos pela sociedade, pela família, escola, religiões, entre outros. Apego a outras pessoas (à família, a entes e amigos que morrem), um grande mal que traz sofrimento desnecessário que trava a vida de muitos. Quando estamos apegados a algo, simplesmente bloqueamos o curso natural das coisas. É uma atitude mesquinha, egoísta que não leva a nada. 

Existe um ponto comum entre desejo e desapego: O Agora. Como já comentei em artigos anteriores (http://vinifornasier.blogspot.com/2010/01/o-maior-presente-para-sua-vida-o-aqui-e.html), no agora não existe apego. O apego só existe no passado ou no futuro (expectativas). No presente só existe possibilidades, paz, silêncio, consciência e criatividade ilimitada. É no Agora que criamos nossas vidas, portanto entender como ser presente no Agora é muito importante. Podemos ter tudo que quisermos, porém devemos entender algumas coisas: Tudo que desejamos deve ser para o bem comum, ou seja, trará felicidade para você e a todos ao redor. A maioria nesse momento pensa em dinheiro, mas não é apenas isso que quero dizer. Darei um exemplo real: uma pessoa me procurou a alguns meses procurando respostas para seus conflitos e desesperos. Queria ser feliz no trabalho, com a família, queria ganhar bem, ter bons amigos, estudar, coisas comuns que todos desejam. Essa pessoa não se sentia capaz, achava que não era boa o suficiente, enfim, estava apegada a uma série de pensamentos limitantes que travavam sua vida. Recomendei o Renascimento (http://vinifornasier.blogspot.com/2010/04/renascimento-cura-atraves-da-respiracao.html) e após algum tempo (e várias conversas), essa pessoa resolveu fazer essa terapia com um profissional que indiquei. Passada algumas sessões e o resultado: essa pessoa passou a ser mais compreensiva com seus pais, passou a entender o ponto de vista das pessoas e isso trouxe harmonia em seu trabalho, entrou numa faculdade, começou a fazer algo que gosta muito, que é dançar e isso lhe traz felicidade. Essa felicidade traz equilíbrio a sua vida, harmoniza seus relacionamentos e a deixa serena, sem apego e sem desesperos. Quanto ao dinheiro? Começou a planejar seus investimentos, viver uma coisa de cada vez, e dar valor às coisas mais essenciais. O ponto importante a ser percebido da mudança dessa pessoa é: essa pessoa tinha desejos, porém era apegada a eles, o que a fazia sofrer. A partir de uma mudança, que foi o desapego de crenças e de tudo q ela desejava, ela passou a focar sua atenção no Agora e sua vida mudou por completo. 

Portanto, quando desejamos algo, devemos ter em mente que esse algo traga felicidade para você e a as pessoas que estão ao seu redor. Você deve sentir como se já possuísse aquilo que deseja, ou seja, você relaxa no Agora, permitindo que as infinitas possibilidades se manifestem de acordo com a ordem natural das coisas. Você deve ter bom senso e estipular um tempo médio para a conquista daquilo que deseja e ser desapegado do seu desejo. Isso significa manter um distanciamento do seu desejo. Por isso a importância de sentir como se já tivesse conquistado, que aquilo que quer só precisa um tempo para se materializar. É como se você tivesse certeza disso, mas ao mesmo tempo desapego do resultado. O melhor exemplo disso é o verdadeiro amor. Quando você ama, você ama em primeiro lugar a si mesmo. Amando a si mesmo, você transborda amor e pode então amar outra pessoa (quando se trata de relacionamento). No verdadeiro amor a palavra “apego” não existe. Existe apenas liberdade. Quando você ama assim, você tem certeza de seus sentimentos em relação a essa pessoa, ao mesmo tempo você está desapegado do resultado futuro – isso é o amor incondicional. No verdadeiro amor, no amor incondicional, você se sente feliz no Agora, independente de estar ou não com a pessoa com quem deseja compartilhar seu amor, você permite que o Universo crie sua vida, permite que novas possibilidades surjam. Portanto não se apegue ao resultado, o Universo pode estar reservando algo muito melhor para você. Apenas livre-se dos pensamentos negativos e dos apegos. Seja inteiro, seja presente e consciente de você mesmo agora. 

Praticando o desapego 

Tudo na vida são ciclos, fases e devemos entender que as coisas vão e vem, nascem e morrem, existem e desaparecem, mas sempre se transformam. Você escolheu estar aqui encarnado na Terra, com objetivos a serem alcançados. Existem espíritos que encarnam momentaneamente apenas para trazer amor ou a verdadeira compreensão do amor (e outros aprendizados) a um casal ou família e, atingindo os objetivos se vão, como é o caso de abortos, crianças e jovens que morrem prematuramente e, que na maioria das vezes quem fica não compreende e sofre pelo apego a elas. Entenda que a vida tem um propósito muito maior que imaginamos. Estamos aqui para aprender, evoluir e compreender muitas outras coisas. A maior lição que temos aqui é o amor. O resgate de relacionamentos começa em casa, na sua família. A família é o núcleo básico de relacionamentos, é onde o amor nasce, começa a compreensão e sabedoria para o amor verdadeiro. Enquanto não resolvemos nossos resgates kármicos familiares, não teremos um relacionamento verdadeiro com outra pessoa. Sempre carregará o espelho da ilusão. Você projetará na pessoa seus karmas familiares. Desapego começa em casa. Desapegue-se de seus pais, de seus filhos; todos nós viemos para ser livres, para seguir um propósito maior aceito por nós mesmos como espíritos. Viemos com talentos, dons únicos. Desapegue-se das crenças, dos pensamentos limitantes que apenas travam seu caminho sagrado, sua vida. Faça aquilo que gosta, aquilo que faz você vibrar. Desapegue-se da aprovação. Você não precisa de aprovação de seus pais, amigos e nem da sociedade. Se você ama o que faz, quando você ama quem está ao seu lado, automaticamente será feliz, terá aprovação, mas essa não fará diferença, porque você é feliz por si mesmo fazendo o que gosta, ou estando com quem ama. Valorize as pequenas coisas, aquilo que te faz bem, pessoas que te fazem bem, sinta como cada vez mais as coisas materiais vão perdendo valor. Quando você é desapegado das coisas materiais, você é mais feliz e terá muito mais riqueza, que começa pelo amor, felicidade e conseqüentemente aquelas coisas materiais virão sem nenhum esforço, porque não é o objetivo maior, porque você está desapegado delas. Jogue fora tudo aquilo que você já não usa mais. Doe! Você pode fazer muitas pessoas felizes. O segredo da riqueza é saber dar e receber. Faça uma lista das coisas que você mais é apegado, separe (recorte) item por item e queime um a um! Exercite o desapego das coisas materiais, das ilusões emocionais, dos rancores, das mágoas, de tudo aquilo que te aprisiona. Pratique o desapego e viva plenamente sua vida agora! 



Vinícius Casagrande Fornasier

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Relaxe! Aceite a responsabilidade de ser você mesmo agora

Já reparou como a natureza não usa de esforço para ser ela mesma? Não existe esforço, provação de ego. O peixe simplesmente nada, não precisa mostrar que sabe mais, assim como o pássaro, ele simplesmente voa. Há pouco tempo observei um sabiá no interior, aos arredores da natureza. Ele possuía uma perna apenas – não faço idéia de como ele perdeu a outra – mas ele não pareceu deprimido e pelo contrário, possuía muita vitalidade e saltitava com muito equilíbrio a procura de alimento. A natureza não despende de energia para ser ela mesma, ela simplesmente aceita como é. O Universo todo funciona naturalmente com um mínimo de esforço, as coisas são como são, acontecem no tempo certo, no momento certo. Já imaginou se a lua tivesse ego? Iria querer se mostrar na fase “cheia” sempre! Ela teria que fazer um esforço sem tamanho para mudar isso. Óbvio que sabemos que a lua sempre será como é. Isso é apenas para compreender como as pessoas agem. 
Vemos a todo o momento pessoas lutando para ter mais dinheiro, para serem importantes, para mostrar serem melhores e o que vemos? Stress, doenças, insanidade, cobiça, inveja, enfim, há um enorme gasto energético para algo que não trará felicidade e amor. Você se sente insatisfeito com sua situação atual? Você tem raiva daquela pessoa que te atinge, deixando você nervoso ou magoado? Você sofre por isso e por aquilo? As leis universais são muito claras: tudo é como é e deve ser como é agora. Comece a ter responsabilidade pelo que sente! Não culpe “os outros” porque você tem raiva, ou porque está sofrendo, ou pela sua atual situação desagradável de vida. Tudo que acontece em nossa vida são provações ou oportunidades de aprendizado e evolução. Ao criarmos consciência de que aquela pessoa pode nos trazer um aprendizado de paciência e compaixão, ou que o sofrimento pode nos fortificar, podemos mudar por completo nossas vidas. Aceite isso, porque tudo que acontece na vida é para ser assim. Tudo está correto, é apenas o seu ponto de vista limitado da sua situação. Cada fato que vivenciamos possui inúmeros pontos de vista e é por isso que, por exemplo, o uso correto de uma regressão traz tão bons resultados a uma pessoa. Ao você colocar a pessoa olhando através dos olhos das pessoas envolvidas em determinado evento que ela está vivenciando e assim percebendo e sentindo o que cada uma das pessoas sentia naquele momento, há total transformação do ponto de vista e assim curando e resolvendo casos muitas vezes incompreensíveis aos olhos de muitos. Isso é apenas um exemplo muito simples. O que quero dizer é que temos que nos desarmar, temos que aceitar que existem muitos pontos de vista em cada situação. Vamos falar sobre a morte. Vejo pessoas que sofrem interminavelmente pela perda de alguém querido. Não que sofrer esteja errado, mas existe de fato uma incompreensão das pessoas a respeito do que é para ser. As pessoas julgam ser fatalidade, injustiça e tornam um evento kármico (quase sempre) em uma tragédia sem fim. O apego, a incompreensão da vida após a morte, assim como destino, carma trazem sérios prejuízos tanto para que parte como para quem fica. Para quem parte existe um forte desgaste energético (espírito), muitas vezes preso aqui na nossa dimensão (pela incompreensão do falecido da morte, da espiritualidade e da não aceitação dos mesmos), vagando e apegado aos entes, e para quem fica, um desgaste energético para algo que já é! O sofrimento não trará ninguém de volta a vida, é um gasto energético grande e desnecessário, portanto a aceitação e o desapego são fundamentais. Não quero parecer insensível, mas a perda de alguém não deve significar que devemos desistir da vida. As coisas são como são. Aceite, relaxe, reze ou deseje que o espírito da pessoa seja guiado para a luz, para Deus, de acordo com sua crença. O importante é entender no caso da morte que existe sim “vida” após a morte e que devemos aceitar que somos apenas um espírito que está de passagem aqui pela Terra, encarnado em um corpo físico, vivenciando algumas provações que ele mesmo escolheu ter. Portanto veja isso de forma positiva, comece a dar valor a quem está do seu lado, a sua família, amigos e mais que isso, valorize quem você é. Seja você mesmo, seja responsável por quem você é. 
Voltando ao assunto da aceitação e dos inúmeros pontos de vista que podemos ter de cada fato que vivenciamos, quero falar sobre a humildade e silêncio. Vejo de perto todos os dias pessoas lutando para defender seus pontos de vista próprios, tentando convencer as pessoas o tempo todo de sua opinião, gastando suas energias desnecessariamente. Isso só cria resistência para a vida, cria atrito, brigas, tensão. Devemos aceitar que existem muitos pontos de vista. A humildade e o silêncio são caminhos importantes para isso. Desista de defender seus pontos de vista. Quando fizer isso – parar de resistir – você se encontrará no AGORA. Sobrará apenas isso, o momento presente – a maior dádiva que você pode ter. Quando você vive no agora você deixa a vida ser como ela é. Você será mais humilde, você aceitará a sua situação, as pessoas não tem culpa alguma pelo o que você sente; tudo que você sente é seu e de sua responsabilidade, portanto assuma o caminho da não-resistência. Você perceberá que o silêncio, aceitação, fará você ser mais feliz, mais próspero, com muito mais energia, aberto a todos os pontos de vista, deixando o Universo guiar naturalmente, ao seu tempo e lugar você agora. 


 Vinícius Casagrande Fornasier