terça-feira, 5 de abril de 2011

2012 - Nós somos o Mundo



É chegado o momento de despertar

É chegado o tempo de mudarmos se quisermos permanecer na Terra. Esse artigo tem por objetivo esclarecer sobre as eminentes mudanças que já deram início no planeta. Mudanças estas que sugerem medidas muitos simples, mas que garantirão um mundo melhor às futuras gerações. E como um segundo objetivo, pretende-se deixar claro qual o significado de algumas profecias, em específico a dos Maias.

Desde o início da revolução industrial o homem fechou os olhos para a vida, para o planeta. As pessoas têm vivido para o ego. As atitudes e o modo de viver são baseados no ego. Isso significa viver para o materialismo e uma busca ignorante por status, bens materiais, entre outros. O ego é baseado em inveja, comparação, dependência, ódio e medo. Podemos acompanhar ao longo da história como pessoas egocêntricas tentaram manipular outras pessoas com o objetivo de criar um mundo melhor, como foi na 2º Guerra Mundial – uma atitude baseada no ego. É importante compreender nesse exemplo (e poderíamos usar de vários outros semelhantes), que não será alguém, mesmo um “Deus” que terá a solução ou a salvação para o planeta e para a humanidade. A chave para a paz mundial e cura do planeta está dentro de nós. Cada um de nós carrega parte do plano para a salvação da humanidade.

O atual cenário que vivemos leva à destruição eminente do planeta. O uso inadequado dos recursos naturais da Terra e a atitude baseada no ego levam ao desequilíbrio do planeta. É importante entender a lei do equilíbrio. Onde existe desequilíbrio existe uma tendência natural para retomar o equilíbrio. Para isso surge o caos. O caos está instalado em nosso planeta. Temos presenciado nos últimos anos fenômenos naturais que estão levando à destruição e morte em massa. É apenas um sinal do que está por vir caso a humanidade não se conscientize da necessidade de mudança. A Terra está simbolicamente nos alertando e nos convidando à mudança.

Você já deve estar curioso – que mudança? O que cada um de nós carrega dentro de si que pode trazer a cura ao planeta? O que devemos fazer para transcender e iniciarmos a nova era que está chegando? E a resposta é muito simples: AMOR.

O amor e consciência como chave

É necessário amor. Mas devemos compreender o que realmente significa amor. Ao longo dos anos, criou-se uma idéia errada do que é amor. O amor é visto como dependência, como paixão, como atitudes relacionadas ao outro, baseadas no ego. De forma mais ampla, esse falso amor é visto como uma atitude passiva e egoísta. Você ama e apenas dedica isso a uma pessoa ou, no máximo, a algumas (quando a pessoa consegue amar a família). O que vemos nos dias de hoje é pessoas que não conseguem nem mesmo amar sua família – mas dizem amar alguém – seu cônjuge por exemplo. Mas são pessoas que, na verdade, desconhecem por completo o amor. São pessoas que não fazem a menor diferença ao planeta, pois uma vez em solidão, encontram-se à sombra de sua alma. São pessoas que dependem de outras para sentirem-se bem (feliz não é adequado – seria ilusório).

O verdadeiro amor só pode surgir dentro de nós, em nossa presença apenas – em solitude. Ninguém pode nos dar amor ou fazer com que amemos. Depende única e exclusivamente de nós.

Para você encontrar amor dentro de você é necessário se desligar do ego. Sua mente foi manipulada pela sociedade – criamos concepções do como é viver bem, do conceito de amor, felicidade, do certo e do errado – concepções baseadas no inconsciente coletivo, no ego. Para isso temos que nos livrar de todo esse lixo que nos cerca. Nem sempre é fácil. Alguns mestres espirituais defendem que a chave deste desligamento encontra-se na respiração. Você pode meditar, ir a um centro budista, buscar isso e aquilo, mas a respiração é o melhor método para você ir de encontro a você, ao amor. Você não conseguirá meditar enquanto a mente interferir. Você não entrará em contato com o Universo, ao plano Divino enquanto estiver ligado à mente. Você desconhecerá o amor enquanto não souber quem você é. E você não é a mente.

A chave para transcendermos para a nova era está no amor. Temos que demonstrar atitudes amorosas e nos unirmos por esta causa. As velhas atitudes baseadas no ego criam uma vibração energética que o planeta e o Universo recebem e respondem de acordo. Somos convidados a escolher nosso destino. Se quisermos continuar na Terra devemos demonstrar amor a ela. E será apenas na união da maioria das pessoas, numa atitude de amor e compaixão, que poderemos transmitir essa intenção ao Universo. Precisamos mudar a vibração do planeta e precisamos de pessoas amorosas. Surge a pergunta: mas como podemos convencer as pessoas disso? Entenda o que expliquei: amor existe apenas dentro de nós. O que temos a fazer é apenas sermos amorosos. Se agirmos amorosamente, naturalmente outras pessoas vão sentir e buscarão por si próprias o amor.

Outro aspecto importante que surge na busca pelo amor interior é a consciência. Quando nos desfazemos do ego abrimos exponencialmente nossa consciência. É importante salientar que dentro do que chamo de “atitude amorosa”, encontram-se pequenas ações conscientes que farão toda a diferença para a cura do planeta. Falo da questão do uso dos recursos naturais, da produção de lixo (redução do uso de plástico, por exemplo), uma completa reavaliação de valores essenciais à nossa vida (dinheiro e tudo que o acompanha: carros, imóveis, luxos, festas). Qualquer mudança que você fizer para o bem do planeta fará a diferença.

Compreendendo o calendário e a profecia Maia

Todos nós já ouvimos falar sobre a profecia Maia. Também é percebido por todos como o tempo vem passando cada vez mais rápido e a vida é cada vez mais acelerada em todos os sentidos. Nos tempos antigos existia um grande respeito pela Terra. Desde o início das civilizações havia uma grande compreensão sobre forças do Universo e da Terra. Civilizações como os Maias possuíam grande conhecimento das forças da natureza, dos astros e do Universo.

Segundo Mihail Lermontov, o calendário Maia mede não apenas o tempo (como um calendário), mas mede a evolução da consciência humana, que no calendário Maia é dividido em nove ciclos.

Os nove ciclos do Calendário Tun estão em correlação com a história do
universo e da civilização ocidental. Permitem também conjecturas sobre a
sensação subjetiva da aceleração do transcorrer do tempo
.

Mandala MaiaEntre os calendários Maia, o Calendário Tun se destaca por não
ser semelhante ao nosso calendário Gregoriano nem ser um calendário
profético. O Tun, calendário de 360 dias/ano, mede não a evolução dos dias e
noites, mas sim a Evolução da Consciência, no sentido de percepção do
conhecimento. Seus nove ciclos permitem estabelecer, com uma precisão
incrível, uma relação com a história do universo, inclusive com a história
da civilização ocidental.



Segundo Carl J. Colleman, a interpretação dos ciclos sugere que cada ciclo é marcado pela percepção do conhecimento e do desenvolvimento de um nível de consciência. Ele ainda explica que a cada ciclo há um gradual acrescimento de consciência, acompanhado de um gradual decréscimo proporcional de duração do ciclos, o qual é 20 vezes menor que o anterior. Portanto, a cada ciclo, o tempo para conscientização é menor. Outro fato interessante é que cada ciclo é subdivido em 13 partes, correspondendo a sete dias e sete noites, como coincidentemente (ou não) é expresso na Bíblia, no livro de Gênesis, onde diz: “E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia”.

Os primeiros 5 ciclos correspondem a Pré-História, ou “história não documentada”, pois a partir de 3.115 a.C. a história passa a ser documentada durante a primeira Dinastia Egípcia, correspondendo ao início do sexto ciclo. Cabe salientar que os primeiros cinco ciclos tiveram uma duração de aproximadamente 18 bilhões de anos e que do 6º ciclo até o final (28 de outubro de 2011 - 9º e último ciclo) são apenas 5125 anos.

A percepção da aceleração do tempo é percebida há muito tempo. Segundo Colleman, o 7º ciclo iniciou em 1.755 d.C e teve duração de 244 anos (1999), onde iniciou o 8º com duração de 13 anos (até 2011). O nono ciclo terá apenas 260 dias, entre 10 de fevereiro de 2011 a 28 de outubro de 2011. Os dias e noites (7 dias e 7 noites x 20 = 240 dias) para conscientização durarão apenas 20 dias! Portanto, a percepção de aceleração do tempo em 2011 é 20 vezes maior do que o ciclo anterior.

Cada um dos ciclos possui um nome próprio e com acontecimentos marcantes a cada dia e noite dos ciclos (da história documentada), o que comprova a precisão do calendário. Não citarei sobre isso para não tornar muito extenso. Para quem tiver interesse sobre, basta acessar os links do final deste artigo.

21 de dezembro de 2012

Novamente salientando, estamos tendo a oportunidade de definir os rumos de nossas vidas e do planeta. O atual sistema que vivemos levará à destruição do planeta. É preciso acreditar na mudança e essa mudança deve acontecer dentro de nós. Uma profecia não existe para dizer o que fazermos, mas sim, para nos conscientizarmos do que nós sabemos que devemos fazer. No momento em que escolhemos fazer coisas que nunca antes fizemos, alteramos por completo o curso de nossas vidas e do futuro, criando assim uma nova realidade.

Você prefere viver no atual sistema baseado no ego que levará à destruição, como projetado pela mídia, ou então, unir-se a outras pessoas por uma causa comum, pelo amor, ajudando uns aos outros para criar uma nova realidade?

Muito conhecimento ancestral ficou apagado na história. Atualmente, temos a oportunidade de acessar esse conhecimento espiritual para o bem. É chegada a hora de compreendermos o motivo pelo qual vivemos neste planeta e nos ligarmos a nossa missão divina. A mídia fala erroneamente que a profecia Maia prega que em 21 de dezembro de 2012 será o fim do mundo. É um grande engano. Estamos acostumados a lidar com diferenças através de guerras, a lidar com medo criando mais medo. Precisamos entender que diferenças se tratam com compaixão, que medo se trata com amor. Já é hora de despertar para a realidade. Você liga a televisão e apenas observa que a cada dia que passa mais desastres, injustiças, guerras, crises, o que causa impotência da humanidade diante dos fatos. Isso é realmente ameaçador, mas precisa ser superado. Você acha que alguém virá nos salvar? Ficar parado e vendo o caos não é uma atitude de amor e sim de medo.

De acordo com a trilogia “The Awakenig Trilogy” (link no final do artigo), o calendário Maia tem uma duração de 26.000 anos e está para se completar em 21 de dezembro de 2012, associado a movimentos astrológicos e ao fim da Era de Aquário e início da Era de Peixes. Essa data é marcada por um alinhamento do Sol com a chamada “Fenda escura”, uma espécie de extensa poeira de nuvens moleculares não luminosas, uma espécie de buraco negro que divide longitudinalmente o brilho da via-láctea. De acordo com a cosmologia Maia, essa fenda com a qual o Sol irá se alinhar levará cerca de 20 anos para ser cruzada (2032). Os Maias acreditam que o fato é ligado a um “renascimento espiritual” e “retorno ao princípio”, o que nada mais é que o início de uma nova era, marcada por uma evolução do planeta e do ser humano.

É importante perceber que o aumento da temperatura em nosso planeta e em todo Sistema Solar é resultante das ondas vibracionais refletidas pelo Sol. Da mesma forma como o calor derrete o gelo ou sublima a água a vapor, nós seres humanos também somo afetados por isso. O que vemos nos dias de hoje são relacionamentos ruindo, crenças e limitações se desfazendo, rigidez tornando-se maleável. Temos que compreender que essas mudanças são boas. Essa freqüência vibracional nos permite fazer rápidas mudanças, permite que nossa mente fique flexível a novas idéias, permite que possamos expandir nossa consciência mais rapidamente.

Nossa realidade é criada por nossos pensamentos. Sabemos mais que nunca como somos afetados diretamente por nossos pensamentos quando atraímos situações ou criamos doença em nosso corpo. Segundo a trilogia “The Awakenig Trilogy”, os Maias acreditam que em algum momento de 21 de dezembro de 2012, o sol (que é como uma lente para interpretação dos raios e freqüências vindas do cosmos e então irradiando para nosso planeta) irá alinhar-se com um portal sagrado existente dentro da Grande Fenda. No momento do alinhamento o sol irá refletir altas freqüências vindas da Fenda para a Terra, proporcionando a cada ser humano a oportunidade de ver, criar e experenciar suas próprias visões da realidade. Destacam ainda a importância de estarmos vibrando em freqüências elevadas (amor), para que possamos acessar essa energia que nos conduz a um novo mundo. Portanto, a realidade acessada neste momento será determinada pelo que você acredita ser possível.

Todos esses fatos astrológicos são também relatados em artigos da National Geographic, onde astrônomos da NASA e de universidades como Princenton e Harvard fizeram descobertas recentes a respeito disso.

O momento é agora

É chegado o momento de definirmos o rumo de nossa humanidade.  Diante do início da nova era, teremos a oportunidade de curarmos o planeta e a nós mesmos. A nova Era de Peixes será marcada pela consciência que todos somos Um. Amor e união são necessários. Somos capazes, da mesma forma que escolhemos um sistema destrutivo, baseado no ego e no ganho próprio, escolhermos nos libertamos dele. Nós temos o poder para isso. Não podemos mais ser servos desse sistema destrutivo. A conscientização é necessária para conquistarmos a paz e harmonia no planeta Terra.

É somente com a demonstração coletiva de amor ao planeta e união de todos pelo bem comum que poderemos acessar a ajuda espiritual. Essas forças ocultas não podem se manifestar até não acontecer tal demonstração por parte da humanidade. Segundo a trilogia “The Awakenig Trilogy”, no momento que nos unirmos em amor, com coragem e compaixão, mudaremos a freqüência vibracional da Terra e, com a assistência divina, dispersaremos a escuridão acumulada das Eras passadas, com isso superando o medo, a negatividade e a doença global. Com a freqüência da Terra aumentada, poderemos harmonizar e transcender com a ajuda dos raios vindos da Fenda Escura e, desta forma, permanecer na Terra para a transição de um novo mundo de amor, paz e harmonia.

Quanto mais reduzirmos o impacto negativo sobre o planeta e demonstrarmos uma atitude de amor, mais podemos nos assegurar de uma tranqüila transição para a nova era que está por chegar. Faça sua parte!

Vinícius Casagrande Fornasier

Consulta:
Não deixe de assistir “The Awakenig Trilogy”
Artigos:

Carta nº 10 de arco-íris do tarô de Osho: "Nós somo o Mundo"
Quando milhares e milhares de pessoas em todo o mundo estão celebrando, cantando, dançando, em êxtase, embriagados pelo sentimento do divino, não existe nenhuma possibilidade de um suicídio global. 

Com essa festividade e com tanto riso, com tanto equilíbrio e saúde, com tanta naturalidade e espontaneidade, como poderia acontecer uma guerra?...
Esta carta representa um tempo de comunicação e de compartilhar as riquezas que cada um de nós traz para o todo. Aqui não há apego, nenhum sentimento de propriedade. É um círculo sem medo de sentimentos de inferioridade e de superioridade.
Quando reconhecemos a fonte comum da nossa humanidade, as origens comuns dos nossos sonhos e anseios, das nossas esperanças e dos nossos medos, tornamo-nos capazes de perceber que estamos todos juntos no grande milagre da existência. Quando conseguimos somar nossa enorme riqueza interior para criar um tesouro de amor e sabedoria que esteja ao alcance de todos, ficamos todos interligados no mecanismo único da criação eterna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário