sexta-feira, 8 de julho de 2011

Espiritualidade e amor: uma sutil conexão


Inspirado em um comentário que ouvi esta semana sobre espiritualidade e amor, quero aproveitar para estender ainda mais o que penso sobre o assunto.

            Atualmente a espiritualidade é algo que está cada vez mais próximo das pessoas, de uma forma ou de outra. Mas o que é espiritualidade?

            A forma mais simples de expressar espiritualidade é defini-la como: a ligação com o Ser Interior. Quando você está intimamente ligado ao seu Ser, que podemos chamar eu Eu interior, espírito, self e outros termos que são utilizados, então você descobre a divindade dentro de você, você acessa um mundo de possibilidades que o Universo dispõe para você. Mas como sabemos se somos conectados a isso? É preciso em primeiro lugar sentir. Não é algo que a mente possa dizer, pois não é lógico – é intangível, assim como o Amor.

O comentário que ouvi foi relativo a uma pessoa que não acredita em espiritualidade, não acredita em terapias holísticas e tudo que não pode ser comprovado cientificamente. Vale lembrar que eu mesmo passei por essa experiência cética antes de conhecer o mundo da espiritualidade. É uma tendência muito forte para quem tem formação em ciências exatas. É claro que existe uma série de fatores que promovem esse “bloqueio” nas pessoas, mas não é o objetivo falar sobre isso. Então o argumento que a pessoa encontrou para explicar como é possível acreditar na espiritualidade foi: “você ama sua filha?” E a resposta óbvia foi: “sim amo!” E então, foi-lhe perguntado: “mas como você define e mede esse amor por ela?”

É claro que a pessoa ficou sem palavras. Qualquer resposta lógica prova que a pessoa desconhece por completo o amor. Não há como definir ou medir o amor. Você não ama mais ou menos. Ou existe amor, ou não existe. Amor é algo que só pode ser sentido, ele está aí, você não o vê, mas você sabe que ele existe. E quando você acredita nesse verdadeiro amor, que é invisível, você então acredita em Deus, que também podemos chamar de várias formas como: Grande Mistério, Existência, Unidade, Universo e outros mais.

É ignorância pensar que podemos definir tudo mentalmente. Somos uma simples espécie em meio a outras milhões, num planeta que é uma estrela entre bilhões na Via Láctea – uma galáxia entre outras 200 bilhões em nosso universo, que atualmente a física quântica não acredita mais em universo, mas sim “multiverso” – que explica que somos um entre outros universos “possíveis” e, com a tendência a “desaparecer”. Então se realmente “Deus” criou o Universo, que belo custo-benefício criar tantas estrelas para que exista o ser humano, num planeta minúsculo como o nosso não?

Como podemos pensar que somos os donos da verdade diante de tudo isso? Como podemos pensar que somos o único planeta com vida em tantos outros universos possíveis? E você ainda tem dúvida em acreditar na intangibilidade do amor, da espiritualidade? Como podemos pensar que fomos “atirados” aqui neste planeta para “lutar” (pois muitos acreditam que a vida é uma luta) e, que a vida se resume em trabalhar para construir uma casa e criar os filhos? É realmente ignorância.

Somos sim pequenos diante do Universo, mas não podemos esquecer que fazemos parte dele. Somos uma peça necessária para a existência de tudo isso. Cada um de nós é único e necessário para a família, sociedade, nação, planeta, sistema solar, galáxia e para o Universo. Afirmo com segurança e certeza: quando nos encontramos dentro de nós e sentimos essa conexão amorosa com o Todo, acessamos um mundo de possibilidades infindáveis. Podemos acessar cura, abundância, amor, enfim, tudo o que quisermos. O Universo é ecológico, nada acontece por acaso. Você não está aqui à toa, portanto comece acreditando e descobrindo o amor dentro de você e então você perceberá a grandeza de Deus dentro de você!

Vinícius Casagrande Fornasier

Nenhum comentário:

Postar um comentário