segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Amor, entrega e desapego


Caro amigo: para melhor compreensão do texto abaixo, é importante a leitura do  texto "Amor, verdade e intensidade".        


Continuando a seqüência de textos sobre relacionamentos amor-liberdade, agora falarei sobre a relação entre amor, entrega e desapego. De cara pode parecer ameaçador, porque sim, falo de entrega de alma e ao mesmo tempo desapego, porque nada é certo, não há garantia que o amor entre duas pessoas possa vingar, portando a importância do fortalecimento da alma, de ser uma luz para si mesmo.

Atualmente a sociedade vive em caos quando falamos de relacionamentos. Pessoas vazias, pessoas desconfiadas, com medo, inseguras, que com a proteção do ego, transformam esses sentimentos interiores em fortaleza, fazendo da experiência de conhecer o outro um jogo. Você conhece uma mulher e ela é afim de você, mas tem medo da entrega; ela tem duas possíveis atitudes: fazer jogos para testar você, pois ela tem medo que você esteja usando ela ou que está desesperado ou ainda, se você demonstrar total entrega a ela, possivelmente ela foge de você, pelo medo do desconhecido, pela insegurança, mas com a justificativa egóica de você querer as coisas muito rápidas (como disse anteriormente, amor interior gera intensidade), ou então de não estar pronta para isso, que nesse caso é bastante justo a pessoa admitir não estar pronta para isso, por reconhecer isso em si mesma. Da mesma forma acontece quando uma mulher busca um homem. O homem de cara começa pensar que a mulher está desesperada, outros, aproveitadores, acabam usando de jogos para fingir entrar na sintonia da mulher e então, após conseguir o que quer, pulam fora. Existem diversos exemplos que poderiam ser colocados aqui, e não quero fazer nenhuma distinção que o homem ou a mulher estejam certos ou errados, a questão é: ambos são vazios. É apenas isto. Não tem nada haver com certo e errado, com machismo ou feminismo.

Considerando os tempos atuais, olhando para a juventude atual (entre 16 a 30 anos), é possível analisar muitos casos de conflitos, jogos entre sexos opostos, vazio na alma. Tenho visto em muitos casos que isso se deve a educação ou a experiência vivida na família, no caso, os pais. Ausências paternas ou maternas influenciam muito a vida de uma criança, e do futuro homem ou mulher. Alguns casos também, o protecionismo demasiado dos pais leva o adulto a ter medo do mundo, ficar demasiadamente apegado aos pais e vice-versa, o que trava completamente a vida da pessoa. O medo da entrega é normal para quem é apegado a sentimentos ou pessoas. O apego é nocivo, é doentio, é ilusório. Se você não consegue se libertar disso deve buscar se ajudar para poder viver uma vida plena.

Entrega significa você permitir expor seus sentimentos, fazer o que sente querer fazer, permitir que o amor cresça, permitir ser você mesmo ao máximo, sem ocultar nada, sem jogos, sem drama. Entrega é se atirar de braços abertos para o desconhecido. Parece um tanto arriscado e perigoso. Realmente é! Só quem está disposto a isso pode viver plenamente, pode conquistar a felicidade, o amor, do contrário, viverá na inércia, na mesmice que vive a sociedade, percorrendo o caminho seguro que todos percorrem há anos, um caminho morto, vazio, sem aventura, sem amor. Entrega é uma qualidade a ser conquistada dentro de si. Quando você conhece a si mesmo, quando você tem amor interior a entrega é iminente, pois a intensidade do amor trará automaticamente a entrega.

O apego é um dos maiores problemas das pessoas. Ele começa cedo. Muitas vezes antes de nascermos. Imagine uma gravidez acidental, indesejada, rejeitada pela mãe ou pelo pai, que pensará o filho, lá, dentro do útero? Provavelmente não queira nascer, provavelmente prefere a morte à infelicidade dos pais. Isso explica muitos partos difíceis como, cordão umbilical enrolado no pescoço, ou parto demorado. Nas diversas situações de rejeição dos pais ao filho, gera medo, dependência afetiva e carência, sem falar nos desvios de personalidade que não entrarei em questão. Esses sentimentos levados à vida adulta, explica muita coisa. Quando temos essas “pendências”, ou karmas com os pais, existe uma forte tendência em buscamos no sexo oposto algo que complete esse vazio em nossa alma. Então por exemplo, você teve pai ausente e agora busca uma pessoa que tenha o pai muito presente, em desequilíbrio oposto a você. Isso é totalmente inconsciente. Você buscará uma pessoa que tenha desvio de personalidade, que seja extremo ao masculino, seja homem ou mulher. O mesmo vale para as diversas carências, sempre buscará inconscientemente o oposto. Aprendi em minha vida pessoal a identificar isso nas pessoas. A análise da personalidade leva a padrões quase que exatos dos karmas ou dos vazios da alma das pessoas e isso me ajudou muito a identificar quais pendências eu possuía, pois naturalmente atraímos o que pensamentos, é a leia da atração, não há como evitar. Você tem uma sintonia de pensamento, de comportamento, de personalidade e atrairá alguém de mesma sintonia. Isso é natural. Porém, o que vejo na sociedade, são pessoas aceitando essa condição, vivem na presença do karma, sem se importar, apenas aceitando passivamente a vida vazia a dois. Minha escolha nos últimos anos foi me libertar dos karmas. Viver plenamente o agora é uma dádiva. É viver alinhado com o Caminho Sagrado, viver em sintonia com o Universo. Quando abandonamos o passado, nos amamos, nos desapegamos de tudo, o karma desaparece, pois no agora só existe a possibilidade da criação.

O grande desafio é viver o agora! No agora não existem problemas. Você está lendo isto, se está presente em leitura, então não existe outro pensamento, portanto não existem problemas nesse exato segundo. Se você é presente na ação, a entrega se torna totalmente prazerosa, porque você não tem medo, você não tem expectativas, apenas está vivendo o momento, está presente no agora. Para atingir o estado de presença máximo no agora é necessário ser “uma luz para si mesmo”, estar em estado de solitude, como falei anteriormente. O amor interior faz-se necessário, a meditação e a purificação espiritual faz-se necessária.

Viver relacionamentos iluminados é bastante simples quando vivemos no agora. Como podem perceber falo muito mais de crescimento pessoal, amadurecimento, que do relacionamento propriamente dito. Obviamente, pois, relacionar-se com outras pessoas depende totalmente de nossa evolução pessoal.

Se você sente que é mal resolvido em alguma questão que envolva relacionamentos, preste atenção: se você não evoluir, não se desapegar, não superar o passado, jamais superará o seu karma. Você vai pular de relacionamento em relacionamento e sempre atrairá pessoas com os mesmos problemas. Você termina um relacionamento e, se isso fica mal resolvido dentro de você (falo dentro de você porque o que é externo a você não importa), então você continua com o mesmo padrão kármico ou padrão de personalidade e, portanto, a mesma sintonia de pensamento, que irá atrair algo em mesma sintonia. Veja bem, você pode dizer: “nunca mais quero uma pessoa manipuladora em minha vida”, “nunca mais quero alguém tão ciumento”, só que você continua odiando a pessoa com que viveu isso, portanto significa que não superou isso, que não teve o aprendizado necessário para mudar a sintonia. É simplesmente a lei da atração; você diz: “Não quero ser assaltado”, mas na verdade está afirmando a palavra “assaltado” e “quero” – o “não” não é interpretado. Ser desapegado do assalto significa dizer: “estou seguro”. É um simples exemplo de como funciona a nossa mente em sintonia com o Universo. Portanto de você não gosta de manipulação, ciúmes e seja qual for o sentimento, teve entender o porquê ele existiu e se analisar porque você atraiu isso para você, pois isso é seu! Se você atrai pessoas negativas, significa que tens algo em sintonia com essas pessoas, não pode culpá-las. Então quando você entende que pode confiar, pode ser verdadeiro, presente, entregue ao momento, atrairá pessoas que tem diálogo, que são verdadeiras, que confiam em você. Se você sabe que evoluiu em pensamento e que seu parceiro não, e sabe que não existe mais nada entre vocês, que o amor na verdade era uma ilusão, desapegue-se! De o salto! Não tenha medo de terminar um relacionamento. E não podemos exigir nada do outro. A transformação é pessoal, intransferível. Cada pessoa tem seu tempo de mudança, seu tempo para evoluir e por isso existe tanta ilusão nos relacionamentos. Um não está satisfeito com o outro e então começam a exigir mudanças, ameaçam terminar o relacionamento e o apego entra na história: então o outro faz pequenas mudanças temporárias e ilusórias e tudo volta a ser como era antes. Posso afirmar: não haverá mudanças, porque a mudança é pessoal, deve ser sentida dentro de você e nunca apontada para você ou para o outro. O crescimento pessoal se dá em solitude.

Você é o responsável por si mesmo! Pare de pensar que é melhor ou pior que o outro, não se condene, não se culpe, não tenha medo da solidão. Não estamos sozinhos no mundo e lembre-se: o estado de vazio é a melhor oportunidade de iluminar-se. Estar na escuridão é potencialmente a melhor chance de você encontrar uma luz e essa luz encontra-se dentro de você. Não se esqueça que somos únicos e ser único é ser você mesmo. Se você vive para outras pessoas jamais será você mesmo. Mas quando você se ilumina, quando ama a si mesmo, então pode oferecer parte de você ao outro porque você transborda amor. Não está doando o que você não possui, não está inconscientemente tentando completar o vazio dentro de você. Você simplesmente compartilha de seu amor ao outro e isso apenas lhe trará felicidade. Quando nos doamos a uma pessoa vazia então ocorrem duas coisas: primeiro, que o fato de você estar com uma pessoa vazia é um indicativo que falta algo em você ou que está apegado a algo ou alguém. Segundo, você será sugado cada vez mais e não perceberá. Você perceberá apenas quando o relacionamento esgotar-se e você estiver só. Quando isso acontecer vai se culpar, vai sofrer, vai prometer a si mesmo que nunca mais dedicará sua vida a outra pessoa. É um erro. Entenda que você doou o que não possuía a alguém que não também não possuía. É totalmente ilusório. É nocivo, pois, você dedica sua vida, que na verdade não é a sua e sim a do outro, numa situação de apego e vazio interior. Você não está sendo você mesmo e sim o espelho do outro.

Quando amamos a si mesmo surge o transbordar do amor. Você sentirá uma sensação de completude, de felicidade e mais que isso, a vontade de gritar para todas as pessoas o quanto é feliz. Você sente a vontade de doar, de compartilhar e então, nessa sintonia em que se encontra, atrairá alguém de igual completude e amor interior e então, o desapego é fundamental para o bom relacionamento. Você deve desapegar-se do passado, esquecer as falsas promessas que fez a si mesmo para que possa viver em amor. Quando livre do passado, em estado de amor e completude e ao lado de uma pessoa igualmente nesse estado, então poderão viver o amor verdadeiro. Você dedicará seu amor ao outro e o outro a você. É um compartilhar, é uma entrega mútua. Você estará sendo você mesmo e o outro também. É uma relação de amor e liberdade, interdependente. O que ocorre é que vocês serão apenas um, pois, o Universo é único e engloba todas as coisas, Deus é único e engloba todas as coisas, assim como o amor. Entenda que Deus, Universo e amor são sinônimos e, portanto, quando falo de uma relação amor-liberdade, de amor verdadeiro, significa vivermos em comunhão com todas as coisas de forma interdependente, ou seja, independente de você estar ao lado de alguém ou não, não existirá sofrimento, não haverá perdas, porque o amor interior é um transbordar, você doará isso e isso não fará falta, muito pelo contrário, você se sentirá feliz e completa por isso, porque sabe que faz parte de algo muito maior, o amor universal.

Viva de forma amorosa busque seu Eu, ilumine-se. Transforme-se através do desapego e da consciência do Eu e do Agora. Ame a si mesmo e se entregue ao Universo – você é parte disso.

Vinícius Casagrande Fornasier

4 comentários:

  1. Complexo, mas verdadeiro... assimilar essa verdade e fazer valer é mais complexo ainda...

    ResponderExcluir
  2. Satisfação em conhecer este''lugar''.

    ResponderExcluir
  3. Digo agora q estou abrindo os olhos...

    ResponderExcluir