sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

A Religiosidade no século XXI

Atualmente em nosso planeta há um grande desequilíbrio das forças do bem e do mal. As grandes mudanças de pensamento no ser humano devido a tanta novidade, descobertas, globalização, facilidade de informação, enfim, levaram o homem ao esquecimento de suas origens ou então ao afastamento de Deus.

A religião é um assunto difícil para as pessoas. A crença de uns não é a de outros, a forma de pensar parecem muito diferentes, outros optam em nem se ligar a nada disso. Recentemente assisti a um filme de terror (lançamento no cinema) que expressa à atual realidade da sociedade. A descrença, falta de fé e religiosidade e a leviandade com as forças ocultas, levam a destruição da vida, à amargura, ódio, inveja e depressão, caminhando apenas para um lugar distante da Fonte Divina.  Mas o que é ser religioso?
“Ser religioso significa estar satisfeito com aquilo que se é” – Osho
Alguns pensam que ser religioso é ir à igreja toda semana ou então rezar o Pai Nosso todos os dias. Não quero dizer que é errado rezar as orações decoradas. Quero dizer que deve haver significado, consciência em cada palavra, para que isso vibre dentro de você de maneira positiva. Outros acham que ser religioso é se abster de bebida, de sexo, de dinheiro, do verdadeiro amor, entre outras negações. Mas ser religioso na verdade é você ser o que você É em sua essência. Significa estar satisfeito com sua vida, aceitando a verdade de que você é o co-autor da sua vida. E ser religioso implica somente em positividade, em acreditar que podemos sempre ser melhores, que podemos ter amor dentro de nós; amor que parte de dentro de nós e nunca fora, que somos Uno com a Existência. É ter compaixão, saber perdoar, é confiar na Vida e ser grato a ela.

 O Universo é infinito e suas forças ilimitadas e invisíveis levaram o homem a criar um modo de expressar essas forças – a religião. Deus não é algo palpável ou que você possa ver e tocar. Deus é um nome que determinadas religiões deram a essas forças do Universo. Portanto de acordo com determinadas religiões, pode ser chamado dos mais variados nomes. Olhando de forma holística (olhando para o Todo), prefiro chamar de Existência, Fonte, Universo, Força Criadora, Energia Universal, entre outros sinônimos.
E Jesus Cristo? Foi uma pessoa iluminada que passou pela 3ª dimensão para dar um recado à humanidade. Sem dúvida Jesus foi um dos maiores exemplos da expressão do Universo ou de Deus na Terra. O problema está que certas religiões tomaram Jesus para manipular o povo, como historicamente se sabe e já foi relatado em livros e filmes. Mal sabem as pessoas também, como existiram e existem pessoas como Jesus na Terra. Madre Tereza de Calcutá, Buda, Osho, Sai Baba (vivo), entre muitos outros que trouxeram luz e sabedoria para nosso planeta.

O mau uso do nome de Deus e Jesus, as crenças, negações, limitações impostas por algumas religiões e a forma excludente que usam para comparar o homem a Deus, em contrapartida de toda a descoberta no mundo da física quântica, novas formas de pensamento, e toda a realidade global que vivemos atualmente, levaram a descrença da sociedade. As pessoas preferem apenas viver a sua vida de qualquer modo, com um coração vazio, distante da Existência, vivendo de forma mundana, vivendo de aparências, de apegos, negatividade, sem objetivos maiores para sua vida. E então você vê muitos pregando determinadas crenças, fanáticos e crentes em Deus, mas que vivem de discórdias familiares, ódio, inveja, indiferença,... e dizem ser religiosos.

Porem há uma nova geração de pessoas do bem. Uma geração que está consciente desde seus padrões familiares e karmas trazidos, até a consciência das necessidades urgentes de nosso planeta. É uma geração que percebe como se pode olhar para Deus de várias formas, que percebe que a positividade e boas ações fazem muito mais diferença que você seguir crenças. O rompimento dos padrões traz 2 grandes movimentos energéticos ao planeta: o primeiro, as forças do bem, que procuram conscientizar, trazer amor, positividade, mudanças a nível psicológico, espiritual e até ambiental. E as forças do mau, que a séculos ou até milênios estavam de certa forma ocultas. As forças do mal tomaram forças nos últimos tempos devidos a dois motivos principais: o primeiro que é a descrença, indiferença e distanciamento da Fonte (Deus) das pessoas, o que leva à manifestação de muitas entidades malignas ou se preferir à proliferação da energia negativa. O segundo motivo é que essas forças estão sendo de certa forma reveladas, descobertas e se sentem ameaçadas e tomando rumo em alguns casos para dar força a outras manifestações negativas. Percebe que nos últimos anos cada vez mais acontecem desastres? E não é qualquer desastre; cidades destruídas pelas forças da natureza, pessoas matando até seus filhos, se suicidando e muitos pensam que o mundo vai acabar em 2012 ainda por cima! Não é bem assim.

O planeta está dando um alerta. Um alerta para a conscientização de como estamos separados de nossas raízes, de como estamos separados da Existência. O planeta naturalmente vai se realinhar e devemos nos colocar em sintonia com a mãe natureza, se não quisermos conseqüências ainda piores. Sejamos mais religiosos – mas que essa palavra tenha o significado correto – para que possamos estar mais próximos de nossas origens. Faça sua parte, tenha consciência que você pode fazer a diferença nas mais simples atitudes. Desacelere um pouco e entre em contato com a Existência, medite, ore, cuide de você, da natureza, sinta-se bem consigo mesmo, faça o bem. É dessa forma que podemos colaborar para um mundo melhor.


Vinícius Casagrande Fornasier

Nenhum comentário:

Postar um comentário