segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Sofrimento: transformação e consciência


Tempos de grande sofrimento trazem em si, potencialmente, tempos de grande transformação. Para que a transformação aconteça, porém, é preciso irmos fundo às raízes da nossa dor, vivenciando a dor exatamente como ela é, sem culpa e sem piedade.” OSHO

Quem nunca teve uma decepção, um grande sofrimento, uma perda? Vivemos de esperanças, ilusões e quando nos demos por conta, somos traídos por nossa mente, formada de falsos padrões instalados por nossa formação primária. Da onde tiramos a idéia que o mundo pode ser perfeito, que podemos dizer que todas as pessoas são boas, confiáveis, amáveis?

“Somos o resultado de manipulação e mentiras produzidos pelos outros.” A busca da verdade é de fato uma distração e adiamento. É a fórmula encontrada pela mentira para disfarçar-se. [...]” OSHO

De fato, existe falsidade, traição, mesquinharia, tragédias, situações inesperadas que nos esperam e que sempre possuem um motivo. Podemos optar em como olhar para isso. Podemos sofrer, entristecer e então não querer compreender. Às vezes é mais fácil culpar as pessoas, a tragédia, a doença. Mas podemos também olhar por outros ângulos. Podemos sentir a fundo, compreender, ficar consciente da lição que podemos tirar da situação. Podemos amadurecer, conhecer melhor as pessoas, saber em quem confiar, quando desconfiar, podemos aprender a amar quem não amamos e deixar de se iludir com quem não merece ser amado. Podemos compreender o valor das pessoas que se vão ou das que quase se vão. Podemos compreender que o mundo é muito mais que uma única pessoa. O apego é a maior doença para a alma. Prende, castiga, faz você sofrer, faz você viver uma vida vazia.

O sofrimento é o caminho para a transformação. Você não pode fugir da dor. Ela está aí e você tem que tomar uma decisão. Ficar triste e nunca compreender ou então encarar, ir a fundo à dor, ir ao fundo do poço sem se assustar. “Já que está no inferno, cumprimenta o Diabo!” E poderá perceber que conhecendo a dor, você poderá usá-la. Usá-la para ficar consciente, para analisar aquilo que você viveu, as ilusões, sofrimento e decepções. É a melhor forma de ficar alerta. É a melhor forma de crescermos, de nos iluminarmos e termos maior consciência e sabedoria. E acima de tudo, é olharmos para nós mesmos e desmarcar as mentiras que vivemos. Mentiras criadas por nós, que só nós podemos relevar. Simplesmente aceite-a, aceite-se. Porque consciente, a infelicidade desaparece!

Vinícius Casagrande Fornasier

Obra Consultada: O Tarô Zen de Osho. Editora Cultrix, 1994.

Um comentário:

  1. Muito bom o texto Vini! Aprender a enxergar lições e crescimento pessoal no sofrimento e nos momentos difíceis pelos quais todos passamos é uma tarefa que exige consciência e desprendimento. Tarefa nada fácil...Por outro lado, ao ver o sofrimento alheio por vezes percebemos a tão pequena cruz que carregamos. Por essas e outras, a gratidão é uma bela prática. Talvez ao nos sentirmos gratos por tantas coisas, a tarefa de enfrentar os inevitáveis sofrimentos se torne menos árdua. Abraço, Fabi

    ResponderExcluir